• Fernando Giannini

A neurociência da aprendizagem: 41 termos que todo professor deveria saber

À medida que a educação continua a evoluir, acrescentando novas tendências, tecnologias, padrões e hábitos de pensamento do século 21, há uma constante que não muda. O cérebro humano.

Mas a neurociência não é exatamente acessível à maioria dos educadores, raramente publicada e, quando é, geralmente está cheia de frases estranhas e jargões intimidantes. Pior, parece haver uma desconexão entre a ciência árida da neurologia e a necessidade dos professores de utilizarem as, ferramentas, recursos e estratégias relevantes em sala de aula.


41 Termos de neurociência que todo professor deve saber


Filtro afetivo

O filtro afetivo é um estado emocional de estresse das crianças, durante o qual elas não respondem ao processamento, aprendizagem e armazenamento de novas informações. Esse filtro afetivo (emocional) fica na amígdala, que se torna hiperativa durante os períodos de alto estresse. Nesse estado hiper-estimulado, as novas informações não passam pela amígdala para chegar ao centro de pensamento superior do cérebro.

Amígdala

Parte do sistema límbico no lobo temporal. A amígdala foi acreditada inicialmente para funcionar como um centro cerebral, para responder apenas à ansiedade e ao medo. Quando a amígdala detecta uma ameaça, ela se torna super ativada (alta atividade metabólica, conforme visto pelo grande aumento do uso de glicose radioativa e oxigênio na região da amígdala em exames de PET e fMRI). Essas descobertas da neuro imagem mostram isso quando as crianças se sentem impotentes e ansiosas. Quando a amígdala está em um estado de estresse, medo ou hiper ativação induzida pela ansiedade, novas informações que chegam pelas áreas de absorção sensorial do cérebro não podem passar pelo filtro afetivo da amígdala para obter acesso aos circuitos de memória.


Axônio

Esta é a pequena extensão fibrosa do neurônio do corpo celular que liga as outras células-alvo (neurônios, músculos, glândulas).


Mapeamento cerebral

Usando a resposta eletroencefalografia (EEG) ao longo do tempo, o mapeamento cerebral mede a atividade elétrica que representa a ativação do cérebro ao longo das vias neurais. Essa técnica permite aos cientistas rastrear quais partes do cérebro estão ativas quando uma pessoa está processando informação em vários estágios de entrada, padronização, armazenamento e recuperação de informações. Os níveis de ativação em determinadas regiões do cérebro estão associados à intensidade do processamento de informações.


Sistema nervoso central

Esta é a parte do sistema nervoso composta pela medula espinhal e pelo cérebro.


Cerebelo

Esta é uma grande estrutura semelhante a uma couve-flor na parte superior do tronco cerebral. Essa estrutura é muito importante no movimento motor, na memória e aprendizagem motor-vestibular.


Córtex cerebral

Esta é a camada mais externa dos hemisférios cerebrais. O córtex faz a mediação de todas as atividades conscientes, incluindo planejamento, solução de problemas, linguagem e fala. Também está envolvido na percepção e na atividade motora voluntária.


Conhecimento

Isso se refere ao processo mental pelo qual nos tornamos conscientes do mundo, usamos essa informação para resolver problemas, e dar sentido ao mundo. É um tanto simplificado, mas cognição se refere ao pensamento e a todos os processos mentais relacionados ao pensamento.


Dendritos

Extensões protoplasmáticas ramificadas que brotam dos braços (axônios) ou dos corpos celulares dos neurônios. Os dendritos conduzem impulsos elétricos em direção aos neurônios vizinhos. Um único nervo pode possuir muitos dendritos. Os dendritos aumentam em tamanho e número em resposta às habilidades aprendidas, experiência e armazenamento de informações. Novos dendritos crescem como ramos de neurônios frequentemente ativados. Proteínas chamadas “neurotrofinas”, como o fator de crescimento do nervo, estimulam o crescimento desse dendrito.

Dopamina

Neurotransmissor mais associado à atenção, tomada de decisão, função executiva e aprendizagem estimulada por recompensa. Verificou-se que a liberação de dopamina na neuro imagem aumenta em resposta a recompensas e a experiências positivas. As varreduras revelam maior liberação de dopamina enquanto os sujeitos estão brincando, rindo, se exercitando e recebendo reconhecimento (por exemplo, elogios) por suas realizações.


Funções executivas

Processamento cognitivo de informações que ocorre em áreas do córtex pré-frontal que exercem controle consciente sobre as emoções e pensamentos. Este controle permite que as informações padronizadas sejam usadas para organizar, analisar, classificar, conectar, planejar, priorizar, sequenciar, auto-monitorar, autocorreção, avaliação, abstrações, resolução de problemas, foco de atenção e vinculação de informações a ações apropriadas.


Imagens funcionais do cérebro (neuro imagem)

A imagem estrutural revela a estrutura geral do cérebro e a neuro imagem funcional fornece a visualização do processamento da informação sensorial que chega ao cérebro e dos comandos que vão do cérebro ao corpo. Esse processamento é visualizado diretamente como áreas do cérebro que são “iluminadas” pelo aumento do metabolismo, fluxo sanguíneo, uso de oxigênio ou absorção de glicose. As imagens funcionais do cérebro revelam a atividade neural em determinadas regiões do cérebro e redes de células cerebrais conectadas, à medida que o cérebro realiza tarefas cognitivas discretas.

Estudo sobre Linguagem e cérebro (veja o artigo na integra clicando aqui)


Imagem por ressonância magnética funcional (fMRI)

Este tipo de imagem cerebral funcional usa as propriedades paramagnéticas da hemoglobina transportadora de oxigênio no sangue para demonstrar quais estruturas cerebrais são ativadas e em que grau durante o desempenho de várias atividades cognitivas. Durante a maioria das pesquisas de aprendizagem de fMRI, os sujeitos são examinados enquanto são expostos a estímulos visuais, auditivos ou táteis; as varreduras então revelam as estruturas cerebrais que são ativadas por essas experiências.


Estudo: varreduras cerebrais mapeando áreas de linguagem e memória

Glia

Estas são células especializadas que nutrem, apoiam e complementam a atividade dos neurônios no cérebro. Os astrócitos são os mais comuns e parecem desempenhar um papel fundamental na regulação da quantidade de neurotransmissor na sinapse, absorvendo o excesso de neurotransmissor.

Organizadores gráficos

Para que a informação sensorial seja codificada (o processamento inicial da informação que entra pelos sentidos), consolidada e armazenada, a informação deve ser padronizada em uma forma compatível com o cérebro. Os organizadores gráficos podem promover esse padrão no cérebro quando as crianças participam da criação de conexões relevantes com seus circuitos de memória existentes.


Massa cinzenta

O cinza se refere à cor cinza-amarronzada dos corpos celulares nervosos (neurônios) do córtex externo do cérebro em comparação com a massa branca, que é composta principalmente de células de suporte e trilhas de conexão. Os neurônios são mais escuros do que a outra massa cerebral, então o córtex ou a camada externa do cérebro aparecem em um cinza mais escuro e é chamado de "massa cinzenta" porque os neurônios são mais densos nessa camada.


Hipocampo

Uma crista no assoalho de cada ventrículo lateral do cérebro que consiste principalmente de massa cinzenta que desempenha um papel importante nos processos de memória. O hipocampo recebe dados sensoriais e os integra a padrões relacionais ou associativos de memórias preexistentes, ligando assim as informações dos novos dados sensoriais a padrões armazenáveis ​​de memórias relacionais.


Sistema límbico

Este é um grupo de estruturas do cérebro ligadas funcionalmente e ao desenvolvimento (incluindo a amígdala, o córtex cingulado, o hipocampo, o septo e os gânglios da base). O sistema límbico está envolvido na regulação da emoção, memória e processamento de comunicação socioemocional.


Memória de longo prazo

A memória de longo prazo é criada quando a memória de curto prazo é fortalecida por meio de revisão e associação significativa com padrões existentes e conhecimento prévio. Esse fortalecimento resulta em uma mudança física na estrutura dos circuitos neuronais.


Metacognição

Conhecimento sobre o próprio processamento de informações e estratégias que influenciam a aprendizagem de alguém que pode otimizar a aprendizagem futura. Depois de uma aula ou avaliação, quando as crianças são solicitadas a reconhecer as estratégias de aprendizagem bem-sucedidas que usaram, essa reflexão pode reforçar as estratégias eficazes.


Mielina

A mielina é um tecido em camadas que envolve os axônios (fibras nervosas). Essa bainha ao redor do axônio atua como um condutor em um sistema elétrico, garantindo que as mensagens enviadas pelos axônios não sejam perdidas enquanto viajam para o próximo neurônio. A mielina aumenta a eficiência da viagem do impulso nervoso e cresce em camadas em resposta a mais estimulação de uma via neural.


Mielinização

A formação da bainha de mielina em torno de uma fibra nervosa.


Circuitos Neuronais

Os neurônios se comunicam enviando mensagens codificadas ao longo de conexões eletroquímicas. Quando há estimulação repetida de padrões específicos de estimulação entre os mesmos grupos de neurônios, seus circuitos de conexão (dendritos) tornam-se mais desenvolvidos e mais acessíveis para estimulação e resposta eficientes. É aqui que a prática da (estimulação repetida de conexões neuronais agrupadas em circuitos neuronais) resulta em uma recordação mais bem-sucedida.


Neurônios

Células especializadas no cérebro e em todo o sistema nervoso que controlam o armazenamento e processamento de informações dentro do cérebro, medula espinhal e nervos. Os neurônios são compostos de um corpo celular principal, um único axônio principal para sinais elétricos de saída e um número variável de dendritos para conduzir informações codificadas por todo o sistema nervoso.


Neuroplasticidade

Isso se refere à notável capacidade do cérebro de mudar sua organização molecular, microarquitetural e funcional em resposta a lesões ou experiências. A formação de dendritos e a destruição de dendritos e neurônios (poda) permitem que o cérebro remodele e reorganize as redes de conexões em resposta ao aumento ou diminuição do uso dessas vias.


Neurotransmissores

Proteínas cerebrais que são liberadas por impulsos elétricos em um lado da sinapse (terminal axonal) e então flutuam pela lacuna sináptica carregando a informação com elas para estimular a terminação nervosa (dendrito) da próxima célula na via. Uma vez que o neurotransmissor é captado pela terminação nervosa dendrítica, o impulso elétrico é reativado nesse dendrito para viajar ao longo do nervo seguinte. Os neurotransmissores no cérebro incluem serotonina, triptofano, acetilcolina, dopamina e outros que transportam informações através das sinapses e também circulam pelo cérebro, como os hormônios, para influenciar regiões maiores do cérebro. Quando os neurotransmissores estão esgotados, devido ao excesso de informações viajando através de um circuito nervoso sem interrupção, a velocidade de transmissão ao longo do nervo diminui para um nível menos eficiente.


Numeracia

A capacidade de raciocinar com números e outros conceitos matemáticos. Os conceitos infantis de número e quantidade se desenvolvem com a maturação e a experiência do cérebro.


Lobos occipitais (áreas de memória visual)

Esses lobos posteriores do cérebro processam a entrada ótica entre outras funções.

Oligodendrócitos

Oligodendrócitos são as glias que se especializam para formar a bainha de mielina ao redor de muitas projeções axonais.


Lobos parietais

Os lobos parietais de cada lado do cérebro processam dados sensoriais, entre outras funções.


Padronização

Padronização é o processo pelo qual o cérebro percebe dados sensoriais e gera padrões relacionando novas informações com o material aprendido anteriormente ou agrupando o material em sistemas de padrões que ele usou antes. A educação consiste em aumentar os padrões que as crianças podem usar, reconhecer e comunicar. À medida que a capacidade de ver e trabalhar com padrões se expande, as funções executivas são aprimoradas. Sempre que um novo material é apresentado de forma que as crianças vejam os relacionamentos, elas podem gerar maior atividade das células cerebrais (formação de novas conexões neurais) e atingir padrões mais bem-sucedidos de armazenamento e recuperação de memória de longo prazo.


Tomografia por Emissão de Pósitrons (PET scans)

Isótopos radioativos são injetados no sangue ligado a moléculas de glicose. Como uma parte do cérebro está mais ativa, suas demandas de glicose e oxigênio aumentam. Os isótopos ligados à glicose emitem emissões mensuráveis ​​usadas para produzir mapas de áreas de atividade cerebral. Quanto mais alta for a contagem de radioatividade, maior será a atividade que ocorre nessa parte do cérebro. A varredura PET pode mostrar o fluxo sanguíneo, o oxigênio e o metabolismo da glicose nos tecidos do cérebro em funcionamento que refletem a quantidade de atividade cerebral nessas regiões enquanto o cérebro está processando a entrada sensorial (informações). A maior desvantagem da varredura PET é que, como a radioatividade decai rapidamente, ela se limita a tarefas de monitoramento curtas.


Predição Predição é o que o cérebro faz com as informações que padroniza. A previsão ocorre quando o cérebro tem informações suficientes em uma categoria de memória padronizada para encontrar padrões semelhantes em novas informações e prever o que esses padrões significam. Por exemplo, se você ver a sequência numérica 3,6,9,12…, .. você prevê que o próximo número será 15 porque reconhece o padrão de contagem em três. Por meio de observação cuidadosa, o cérebro aprende mais e mais sobre nosso mundo e é capaz de fazer previsões cada vez mais precisas sobre o que virá a seguir. Muitas vezes, a previsão é o que é medido em testes de inteligência. Essa capacidade de previsão é a base para o comportamento de leitura, cálculo, realização de testes, estabelecimento de metas e interação social adequada com sucesso. A predição bem-sucedida é uma das melhores estratégias de solução de problemas que o cérebro possui.

Córtex Pré-frontal (frente, partes externas dos lobos frontais) O córtex pré-frontal (PFC) é um centro de redes neurais com entrada e saída para quase todas as outras regiões do cérebro. No PFC relacional, as memórias de trabalho podem ser mentalmente manipuladas para se tornarem memória de longo prazo e as emoções podem ser avaliadas conscientemente. As funções executivas dirigidas por redes PFC respondem à entrada por meio dos mais altos níveis de cognição. Essas funções incluem avaliação de informações, previsão, tomada de decisão consciente, consciência emocional, resposta, organização, análise, classificação, conexão, planejamento, priorização, sequenciamento, auto monitoramento, autocorreção, avaliação, abstração, dedução, indução, resolução de problemas, focalizar a atenção e vincular as informações ao planejamento e ao direcionamento das ações.

Poda: os neurônios e suas conexões são podados (destruídos) quando não são usados. Em um bebê, o cérebro produz células cerebrais (neurônios) e conexões entre células cerebrais (sinapses) e começa a podá-las por volta dos três anos de idade. A segunda onda de formação de sinapses ocorre pouco antes da puberdade e é seguida por outra fase de poda. A poda permite que o cérebro consolide o aprendizado eliminando neurônios e sinapses não utilizados e envolvendo mais matéria branca (mielina) em torno das redes neuronais usadas com mais frequência para estabilizar e fortalecer sua capacidade de conduzir os impulsos elétricos da comunicação nervo a nervo. Aprendizagem RAD Existem três sistemas cerebrais principais que são a chave para construir cérebros melhores. Os três sistemas podem ser referidos como RAD, que é a abreviação de Reach and Discover. Sistema de ativação reticular (RAS) Esta parte inferior do cérebro posterior filtra todos os estímulos recebidos e toma a “decisão” quanto a qual input sensorial é atendido ou ignorado. As principais categorias que chamam a atenção do RAS incluem novidade (mudanças no ambiente), surpresa, perigo e movimento. Memória Rote Esse tipo de memorização é a tarefa de memória mais comumente exigida pelas crianças na escola. Esse tipo de aprendizado envolve “memorizar” e logo esquecer fatos que muitas vezes são de pouco interesse primário ou valor emocional para a criança, como listas de palavras. Fatos que são memorizados ao serem repetidos repetidamente, que não têm padrões ou conexões óbvias ou envolventes, são memórias rotineiras. Sem fornecer o contexto da informação ou a relação com a vida das crianças, esses fatos são armazenados em áreas mais remotas do cérebro. Esses bits isolados são mais difíceis de localizar e recuperar porque há menos vias nervosas que levam a esses sistemas de armazenamento remoto. Serotonina Um neurotransmissor usado para transportar mensagens entre os neurônios. Pouca serotonina pode ser uma causa de depressão e desatenção. A ramificação dendrítica é aumentada pela serotonina secretada pelo cérebro predominantemente entre a sexta e a oitava hora de sono (não-REM). Memória de curto prazo (memória de trabalho) Essa memória pode conter e manipular informações para uso no futuro imediato. As informações são mantidas na memória de trabalho por cerca de um minuto.

Sinapse Essas lacunas entre as terminações nervosas são onde neurotransmissores como a dopamina carregam informações através do espaço que separa as extensões dos axônios de um neurônio do dendrito que leva ao próximo neurônio na via. Antes e depois de cruzar a sinapse como uma mensagem química, a informação é transportada em um estado elétrico quando viaja pelo nervo. Diagrama de Venn Um tipo de organizador gráfico usado para comparar e contrastar informações. As áreas sobrepostas representam semelhanças e as áreas não sobrepostas representam diferenças.

Autor: Judy Willis M.D., M.Ed., radteach.com

Artigo completo: https://www.teachthought.com/neuroscience-learning-41-terms-every-teacher-know/


Receba as notícias sobre educação e tecnologia 

Fernando Giannini

 

E-mail:

fernando.giannini@streamer.com.br

logo-3.png

© 2020 por Fernando Giannini